Homicídios na região de Vila da Penha dobraram em junho

O número de homicídios na região de Vila da Penha dobrou no último ano, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP). No mês de junho de 2014 foram registrados três casos, contra seis no último mês na área da Delegacia de Vicente de Carvalho (27ª DP).

Os dados do ISP apontam um aumento de cerca de 20% no número de mortes violentas quando comparados os primeiros semestres destes anos (31 em 2015 e 25 em 2014). A região ainda registrou um caso de latrocínio (roubo seguido de morte) em junho deste ano e nenhum no mesmo mês de 2014.  A área da 27ª DP abrange os bairros da Vila da Penha, Vicente de Carvalho, e parte dos bairros de Vista Alegre e Irajá.

Bairro vive aumento da rotina de tiroteios com guerra deflagrada por Playboy

Na última década, a Vila da Penha viveu um período de florescimento com a chegada de novos estabelecimentos comerciais e o aumento da exploração imobiliária. Chegou a ser apontada como um dos bairros com melhor qualidade de vida na cidade, segundo o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Mas neste ano de 2015, o bairro voltou a conviver com a guerra pelo domínio territorial nas favelas próximas.

No Morro do Juramento, que abrange os bairros vizinhos de Vicente de Carvalho e Tomás Coelho, o Playboy, criminoso mais procurado do Rio, morto no último sábado, tentava tomar o controle do comércio de drogas. A guerra já levou pânico aos usuários do metrô no último mês de março que, em desespero, tiveram que correr para se abrigar dos tiros. Dentro da favela, bandidos do Comando Vermelho circulam fortemente armados de fuzil para tentar impedir nova tentativa de invasão por parte da facção rival ADA (Amigo dos Amigos).

No Conjunto do Quitungo, em Brás de Pina (não muito distante do Largo do Bicão) o traficante Playboy tentava tirar a milícia do local . Os tiroteios,  que haviam cessado há quase dez anos com a expulsão do tráfico pelos milicianos, voltaram a assustar os moradores com as constantes tentativas de invasão da quadrilha do traficante.

Morte de policial foi em local próximo a shopping 

O policial civil Melchior Fernandes dos Santos Neto, de 25 anos, foi morto a tiros ao reagir a um assalto a frequentadores de um pub no início da madrugada desta quinta-feira, como noticiamos aqui. Os bandidos teriam usado na ação o carro de outro policial que havia sido roubado horas antes. O local fica próximo ao Carioca Shopping, um dos shoppings mais movimentados da região.

De acordo com informações do 41ºBPM de Irajá, o crime ocorreu no Balle Pub, na Rua Galvani, 168, esquina com a Rua Marco Polo. No local tinha ocorrido uma programação de rock acústico. Segundo relato de testemunhas, por volta de 1h, o estabelecimento já estava fechado e um grupo estava reunido na porta quando pelo menos quatro homens em um carro branco desceram do veículo. Todos foram rendidos.

Ao perceber a ação, o policial teria tentado se afastar sem ser notado. Os bandidos perceberam e ordenaram que ele parasse. Neto, porém, teria sacado sua arma, mas acabou baleado. Ele morreu no local. Outros dois veículos e uma moto teriam dado cobertura a ação dos criminosos. Ainda segundo testemunhas, pelo menos 14 cápsulas deflagradas foram recolhidas no local.

O policial civil era frequentador do local. Em uma postagem recente, postada no dia 10 de junho, na página do pub no Facebook, ele fez uma avaliação do estabelecimento. “Bar muito maneiro, sempre fui bem atendido, ótima comida. Recomendo a todos”, dizia o comentário.

A Divisão de Homicídios periciou o local e assumiu as investigações do caso. Imagens de câmeras de segurança de um bar que fica no entroncamento das ruas foram recolhida pelos peritos para ajudar a identificar os criminosos.

Fonte: Jornal O Dia.

Administrador

Este site é um blog que reúne notícias úteis e importantes sobre toda região do bairro Vila da Penha localizado no subúrbio da cidade do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *