Cedae faz manutenção preventiva do Guandu

A Cedae realiza na próxima terça-feira (01/06) manutenção preventiva na Estação de Tratamento de Água (ETA) do Guandu, a maior do mundo em volume de água tratada produzida, registrado no Guinness Book, o Livro dos Recordes. A paralisação foi iniciada às 8h e terá a duração de 24 horas. A Cedae solicita que os consumidores economizem água, ressaltando que seu armazenamento deve ser feito em recipientes com tampa para evitar a proliferação do mosquito da dengue.

Durante os serviços o Guandu terá a sua operação interrompida, podendo afetar o abastecimento em 85% da cidade do Rio de Janeiro e 70% da Baixada Fluminense. A Cedae montou um esquema especial para atender a hospitais com carros-pipa.

A paralisação do Guandu envolverá a participação de cerca de 300 funcionários. “É uma ação extremamente importante e estratégica. Afinal, é melhor parar o Guandu preventivamente por 24h e detectar qualquer problema ou falha no sistema do que ficar passível de algum problema futuro que poderia paralisar o abastecimento de água no Rio de Janeiro durante um longo período”, afirmou o presidente da Cedae, Wagner Victer.

Técnicos da Nova Cedae farão uma vistoria minuciosa nos reservatórios e canais de água filtrada da estação de tratamento e nas adutoras e elevatórias que compõem o sistema abastecimento do Guandu. O abastecimento de água começará a ser normalizado logo após o religamento do sistema, entretanto, em algumas áreas mais isoladas, como regiões mais altas e “pontas” do sistema, o abastecimento poderá levar até 48 horas após a conclusão dos trabalhos para ser restabelecido. Até a normalização do fornecimento de água, os moradores devem evitar desperdícios como lavar carros e calçadas, tomar banhos demorados regar jardins e quintais.

Construída em 1955, a ETA Guandu teve suas obras concluídas em 1963. A estação trata 43 mil litros de água por segundo, abastecendo cerca de nove milhões de habitantes. A Cedae conta com um programa de visitação à ETA Guandu voltado para associações, escolas, instituições em geral e população interessada.

Fonte: CEDAE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *